Suga, em um discurso político em outubro, prometeu alcançar zero emissões líquidas de carbono em 30 anos. Enquanto o mundo enfrenta um desafio ambiental, os investimentos verdes são uma oportunidade de crescimento, não um fardo, disse o primeiro-ministro na ocasião.A estratégia, que fornece um plano para atingir as metas em diferentes setores, projeta aumento entre 30% e 50% na demanda por eletricidade e pede um impulso para triplicar as energias renováveis na matriz energética do país – para cerca de 50% a 60% do nível atual. Ao mesmo tempo, maximiza o uso da energia nuclear como uma fonte estável e limpa de energia.

Contudo, não está claro se Suga tem peso político para superar interesses internos e afastar o Japão, pobre em recursos, da sua dependência de petróleo e gás importado.

A estratégia identificou 14 indústrias, como eólica offshore, hidrogênio e combustível de amônia, bem como automóveis e baterias recarregáveis, com planos para cada setor. A estratégia mostra uma meta de instalação de energia elétrica offshore de até 45 gigawatts em 2040.

De acordo com o projeto, o governo também deve fornecer incentivos fiscais e outros apoios para impulsionar o investimento em tecnologia verde, projetando um crescimento anual de 90 trilhões de ienes (US$ 870 bilhões) até 2030. Além dos incentivos fiscais, o governo japonês vai oferecer outros estímulos às empresas, como um fundo verde de 2 trilhões de ienes (US$ 19 bilhões).